segunda-feira, 7 de junho de 2010

J.P./J.A.

Algumas pessoas gostam do caos, da barulheira e da prostituição, dizem que isso é ser urbano, acho que ouvi fanhos dizerem 'Ser-humano' o que tornou o 'Ser-urbano' usual, e a zona foi liberada.
O mais legal das festas é o fim, andar em salas zoneadas e ver a urbanização jogada, o caos dos copos e das garrafas de bebidas, o som ainda ligado e o anfitrião que se perdeu com uma puta no meio do chão e esqueceu de desligar.
E como tem gente carente em meio a tanta festa!
No final, eu realmente só passo para pegar o vinho da adega e ir para a minha casa, aproveitar o campo em meio a tanta cidade, ignorar as buzinas lá fora e sentar em uma sacada olhando a imensa lua sorrir pra mim, talvez seja o seu sorriso, e toda vez que olha pra ela lembra que existe alguém em algum lugar que estará sempre a te esperar.
A taça solitária e os cigarros no cinzeiro marcam todos os dias que eu fiquei aqui, as vezes há mais cigarro do que vinho e mais lágrimas do que sorrisos, as vezes a lua se esquece de aparecer e algumas vezes eu tento esquecer de você.
E como tem gente conformada em meio a tanta carência!


Carência que agora sei
não vale matar se for sem você,
não vale a pena jogar 
porque eu sempre vou perder.

E com você aqui eu posso tudo.
Mas meu medo não te deixa entrar
e grita que eu não sei amar,

Fica o vazio, após o tchau.

3 comentários:

  1. as vezes eh melhor ficar sozinho, por nao ter que sofrer os problemas de estar junto, mas eh horrivel pensar que as vezes ficamos sozinhos e continuamos a viver esses mesmos problemas por carencia. tchau xuxua

    ResponderExcluir
  2. Isso me lembra TANTO você, Lari!

    ResponderExcluir
  3. Nada como ler um bom texto (:
    Adorei Lari, sem palavras ! *-*

    ResponderExcluir

Seguidores